saopauloapeDez Roteiros Históricos a Pé em São Paulo, Roney Cytrynowicz

‘Dez roteiros históricos a pé em São Paulo’ é um guia que propõe dez diferentes passeios a pé pela cidade de São Paulo, mostrando como são surpreendentes as possibilidades de andar a pé e conhecer a metrópole. O guia convida a passeios diversos, tais como andar pelo centro da cidade e pelos bairros da Mooca, do Ipiranga, do Jardim América, da Liberdade e do Bom Retiro, além de uma viagem de trem pelo Rio Pinheiros e depois uma caminhada até a Represa de Guarapiranga ou ainda uma inusitada caminhada pela história dos espaços da morte no centro da cidade. O livro combina o prazer de passear com a leitura de um texto em forma de crônica, com pesquisa histórica e informações culturais. Com mais de 450 anos, São Paulo guarda uma história que muitas vezes fica escondida ou incrustada nos trajetos cotidianos de trabalho.

18081808, Laurentino Gomes

A fuga da família real portuguesa para o Rio de Janeiro ocorreu em um dos momentos mais apaixonantes e revolucionários do Brasil, de Portugal e do mundo. O propósito deste livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. ‘1808 – Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil’ é o relato sobre um dos principais momentos históricos brasileiros.

lavoisierLavoisier no Ano um, Madison Smartt Bell

A Coleção Grandes Descobertas narra a gênese dos maiores avanços da ciência através da história dos cientistas que mudaram a nossa visão do mundo. Ao final do século XVIII, a química ainda estava impregnada pela alquimia medieval, e a maioria dos estudiosos acreditava que o flogístico fosse um dos responsáveis pela combustão. Foi então que o francês Antoine Lavoisier libertou a química de seu invólucro fantasmagórico, criando uma linguagem científica para denominar os compostos e elementos químicos e substituindo o conceito de flogístico pelo de ar atmosférico, feito de oxigênio e outros gases. Em ‘Lavoisier no ano um’, Madison Smartt Bell acompanha a carreira do renomado cientista para traçar a história da química desde os seus primórdios, culminando na ‘corrida’ entre Lavoisier e seus contemporâneos para identificar os processos da combustão. O autor põe as descobertas de Lavoisier no contexto da Revolução Francesa – seu principal tratado químico foi publicado pouco antes da queda da Bastilha, em 1789. E descreve como, ao mesmo tempo em que disputava a ‘paternidade’ e a aceitação de suas teorias, Lavoisier se envolvia com a arrecadação de tributos do governo de Luís XVI, atividade que acabou lhe custando a cabeça durante o Terror jacobino.